Arquivo de Setembro, 2006


Your Blogging Type Is Clever and Witty


Of all blogging types, you’re the best with words.Almost every blog post you write has legendary quality.

You have a perverse sense of humor and often play devil’s advocate.

Impatient and picky, you tend to go off on funny rants from time to time.

Bom… alguém tinha que dizer bem de mim,

nem que seja um programa informático completamente cego

e que nuca leu nada do que eu escrevo.

Ou será essa a única maneira?

Anúncios

OS NOVOS SUICIDÁRIOS

[ in Diário de Notícias

O enforcamento perfeito está descrito na Internet. O melhor caminho para a overdose ou o veneno ideal para uma morte rápida também. Sem regulação nem controlo, há actualmente 900 a 20 mil sites apostados em ensinar e incitar ao suicídio. Só no Reino Unido há registo de 16 mortes anunciadas em sites pró-suicídio e salas de conversação. Portugal já se estreou: em 2005, um jovem criou um blogue, avisou os leitores da sua intenção e matou-se.

Para piorar o cenário, a taxa de suicídios em Portugal duplicou nos últimos anos. Segundo Marta Roque, médica de Psiquiatria dos Hospitais da Universidade de Coimbra – e oradora nas sextas jornadas sobre Comportamentos Suicidários, que terminam hoje no Luso -, “é difícil estabelecer correlações entre os sites e o suicídio, porque há poucos estudos e os casos descritos na literatura científica foram muito mediatizados”, mas é urgente “um consenso internacional” para a regulação dos sites.

“Falta consenso para regular o acesso a sites suicidas, alguns com autênticas bizarrias a incitar ao suicídio”, afirma. “E também os clínicos devem estar alerta para o uso que os seus doentes para-suicidários [que tentaram o suicídio] fazem da Internet.” É que “essas páginas podem encorajar pessoas que já não estejam saudáveis ou até as que nunca tinham pensado nisso”, acrescenta.

Nos blogues portugueses, “há muita discussão sobre o suicídio, a propósito de casos concretos”, afirma Olga Ordaz, investigadora da Escola Superior de Enfermagem de Calouste Gulbenkian. “O caso do jovem que criou um blogue e se suicidou três dias depois foi muito comentado por outros bloggers“, exemplifica. “Habitualmente, os utilizadores da internet comentam se este é um acto de coragem ou de cobardia, falam na vontade que já tiveram de se suicidar e contam experiências.” Mas “não há um incitamento expresso ao suicídio”, garante. Com uma excepção: “A Wikipédia explica como se faz.” (Ver caixa.)

“É o preço a pagar”

Para o vice-presidente da Ordem dos Psicólogos, Samuel Antunes, os artigos publicados na Internet representam “o preço que nós pagamos por querermos ter acesso a toda a informação”. Ainda assim, segundo o psicólogo, “não são os conteúdos dos sites que determinam o comportamento dos indivíduos”. Quem participa neste tipo de salas de conversação e comete suicídio “já tinha uma predisposição para o fazer”, diz.

Mais de mil casos por ano

No final dos anos 90, a taxa anual de suicídios em Portugal era de 500. Em 2003 – últimos dados conhecidos -, o número “mais do que duplicou. ” Uma “perda de esperança permanente” associada ao desemprego pode explicar o aumento – que se traduziu em 1200 casos em 2002 e 1100 em 2003. Na última década, o para-suicídio aumentou cerca de 25%, sendo um fenómeno mais frequente entre as adolescentes.

Os especialistas vão dizendo que não se podem tirar grandes conclusões dos números e do facto de a taxa ter duplicado na era da Internet. Querem esperar pelos dados de 2004 e 2005 “para apurar se, do ponto de vista epidemiológico e sociológico, estamos numa fase de crescendo”. A verdade é que a preparação do suicídio é uma experiência cada vez mais narrada na net. E o entusiasmo que gera nos leitores inegável. Veja-se o exemplo do blogue espanhol Deseoso de suicidarme. O autor escreve: “Este é o diário de um suicida. Uma janela aberta à estupidez da minha existência.” O último post foi escrito a 20 de Dezembro de 2004. Em cima do seu silêncio, outros deixam ainda comentários. “Quero suicidar-me” é o mais frequente.

EYES WIDE SHUT

Confesso-me pecador nesta coisa de “pedir a imagem emprestada ao parceiro que nem sequer sei quem é” e publicá-la no blog para ilustrar seja o que for.

Apesar de numa procura de imagens na net aparecerem um sem número de versões da mesma foto, quadro, seja o que for, é uma realidade que opto pela que mais me sirva e á tembém verdade que, à falta de indicação precisa do seu autor, a publico sem problemas de consciência de maior. Quero ressalvar, no entanto, que é somente nesses casos que pretico a “burla”: nos casos de não identificação do autor. Todos os outros, conforme poderão ver neste e noutros blogs da minha autoria, têm link ou nome de autor.

Vem este post a propósito do publicado noOLHAR MARCIANO que refere precisamente este assunto. O post “Uma imagem vale mais de mil palavras, ou nada?” tem até um set de “entrevistas alternativas” a atestar o interesse relativo dos diversos estereótipos tugas e que, a continuar, é uma série que poderá ser interessante de seguir.

No entanto, parece-me um pouco exagerada a visão do autor do blog. Existe uma diversidade de imagens na net acerca das quais não é possível saber o nome do autor. Nestes casos, o que fazer? Dar-lhes o link de origem da imagem e possivelmente atribuir erradamente os créditos pelo trabalho? É que dizer que a imagem pertence a fulanode tal é completamente diferente de dizer que a imagem veio via fulano de tal. O via apenas leva a que se visite um site [ não vindo daí grande mal ao mundo ] que poderá, sem nós sabermos, usufruir de algumas benesses pela utilização desse espaço [ e aí o caso muda completamente de figura ].

Então, a minha posição é esta:

Todas as imagens que tenham a indicação EXPLÍCITA da autoria são anotadas nesse sentido.

Todas as imagens que NÃO APRESENTEM INDICAÇÃO EXPLÍCITA DE AUTORIA não levarão anotação alguma.

Reserva-se, no entanto, o DIREITO DE QUALQUER AUTOR A RECLAMAR A SUA AUTORIA DE UMA IMAGEM AQUI PUBLICADA. Nesses casos, e DADA INFORMAÇÃO INEQUÍVOCA A COMPROVAR OS DIREITOS, seguirá um pedido formal de autorização de publicação e consequente anotação dessa mesma autoria na imagem publicada.

HOJE É QUE FOI!!!

CONSEGUI COMPRAR O DVD D’ “O PIANO” QUE TRAZ O EXPRESSO DE OFERTA!

A LER: O SABER MUTANTE  NO “ACTUAL”

A Wikipedia, uma enciclopédia gratuita na Internet e editada por qualquer pessoa, levanta acalorados debates. Todos eles esquecem o essencial.

A LER: EUFORIA BLOGUISTA NOS ECONOMISTASNO “CADERNO DE ECONOMIA”

Conversas aquecem sobre OTA e TGV, entre ex-ministros, professores e leigos.
Este artigo saiu largamente amputado por razões às quais sou alheio. Em acordo com o editor da secção, Jorge Nascimento Rodrigues, foi publicado na edição o link para uma página contendo as declarações completas, e não editadas, recolhidas para o artigo, bem como a informação de uma tabela gráfica que também não saiu publicada.

A página é esta.

AMBOS OS ARTIGOS SÃO DE PAULO QUERIDO QUE BOTOU ONTEM FALADURA NA TELEFONIA, NO PROGRAMA “PROVA ORAL” [QUE NÃO OUVI. – HÁ PARA AÍ PODCAST? SE SIM, ENVIEM LINK, POR FAVOR]

DÊEM-LHE AS CHAVES!

No anonimato há sempre um esconderijo, uma nova vida, como jogar ao Collin McRae Rally na playstation. É terrivelmente divertido. Mas conseguir ser um filho da mãe maluco, genuíno, ridículo e idiota, dando o nome e a cara, é andar com o carro a sério numa estrada a sério, com risco de despiste catastrófico, na forma de internamento numa instituição psiquiátrica, de abanares de cabeça desiludidos, de janelas e portas a fecharem-se nas ruas e de copos de água na cara nos restaurantes finesse. Estou à espera de 1 resposta. Vamos lá ver. Larguei a playstation, agora dêm-me a chaves do 206 do DEF todo kitado pelo Cajó. Quero ir para a zona da Expo para o picanço com os intelectuais VRrrrm Vrrrrmmmmmmmmmmmmmmm….

[ in Tasca da Cultura ]

OS MANDAMENTOS DA LEI BLOGGER

são propostos pelo incontornável TONIBLER que, a propósito, com estas e com outras, está a caminho do TOP100. Top de quê? Não sei. Porquê? Não faço ideia.

O que sei é que vale a pena visitar este blog de artistas portugueses que só usam pasta medicinal Couto e, sem dizer praticamente nada, falam de quase tudo.

Talvez seja esse o segredo.

Descredibilize o seu interlocutor virtual afirmando que a Internet não é um local intelectualmente sério. Faça-o no seu blog com link para o dele.”

Está bem assim?

PEDIDO DE AJUDA

ALGUÉM ME EXPLICA, POR FAVOR, COMO RAIOS EDITO O

“WIDGET” DE TEXTO PARA A BARRA LATERAL?

 

GRATO PELA CARIDADE,

CJT


You Are Pop Art


When it comes to art, you’re definitely not a snob.
You can appreciate the mainstream aspects of culture, even if you need to twist them a bit to make them your own.
Whether you’re into comics, retro pinups, or bold colors, you embrace what’s eye catching and simple.
As far as most other art goes, you consider it a little too elitist and high brow for your tastes!

pois… parecem astrólogos.

A mudança regular de cabeçalhos vai ser política do [ weBloggers.com ]. Assim, para além de um necessário “refresh” estético, “facelifting” ou coisa que o valha que já não consigo falar português, passa também a divulgar os nomes de alguns fotógrafos da praça.

Daí a criação da página [ cabeçalhos ] que verá as sua actualizações anotadas aqui no blog, anotações que ficarão arquivadas nas categorias “imagem” e “cabeçalhos”. As fotografias apresentadas na página corresponderão sempre às publicadas no cabeçalho e tratam-se de adaptações. Os links para os sites dos fotógrafos estarão sempre disponíveis.

ATENÇÃO: ESTAS FRASES SÃO COMPLETAMENTE ORIGINAIS, ASSIM COMO O QUE LHES DÁ SENTIDO. 

FRASE 1

“Eu estou AQUI

FRASE 2

AQUI vou ser feliiiiiiiiiiiiiiz!”

ACTUALIZAÇÃO: O [ weBloggers.com ] soube que estas duas frases foram indecentemente aproveitadas por uma entidade com o nome parecido com o do título do post mas a acabar em “P” e irá proceder judicialmente contra esta [ no sentido de obter uma avultada indeminização ]