Archive for the ‘bom dia’ Category

» bom dia!

[boa tarde]
Sol, uma vez mais, e desta feita a conseguir mesmo ler um pouco de Ovídeo, pelo meio da manhã, numa breve escapada ao trabalho. “A arte de Amar”, manual de instruções perfeitamente actual para o[a] sedutor[a] principiante escrito na forma mais extravagante que um latim de época permitia. A lê-lo com atenção para tentar compreender as coisas que ouvi ontem num programa de rádio acerca das diferenças entre homens e mulheres, compreensão a exigir apenas o filtro cultural que permite anular o efeito do tempo que separa as duas épocas.
De uma coisa tenho a certeza: a tal falta de sensibilidade de que sou geralmente acusado [e a fazer-lhe honras vaidosas pois, tanto quanto parece, é sinal de masculinidade], está para continuar. Não a considero um defeito em si, o que poderá ser considerado defeito é a forma descabida como ela se manifesta, mas isso é outra coisa. Haja paz, reconheçam-se os espaços próprios de cada “espécie” e, sobretudo, os seus direitos intrínsecos à condição humana, pois homens e mulheres somos apenas isso. Cada um de nós.
A acabar a quota de pensamentos repentinos de hoje, fica a ideia de que sempre existirá uma “guerra de sexos” e que esta não é necessariamente negativa. Talvez seja, pelo contrário, o verdadeiro motor social.

Anúncios

» bom dia!

Sol!… Começaram os dias em que saio de casa com luz e consigo retornar no lusco-fusco.
Levantar calmamente, tomar um banho prolongado, pequeno almoço completo enquanto digiro o jornal. Um café forte e uma cigarrilha no final acompanhados de uma leitura pausada de Ovídio, por exemplo [nada como iniciar o dia com amor], e seguir lânguidamente o tempo do dia até ao seu final.
Ou então levantar, banho rápido, café à esquina. Tratar relatórios em atraso, análise estatística em dia, reunião em Gondomar ao final da manhã, regresso à base, tratamento dos pendentes em Espanha, argumentação para o site, estatística para a Alemanha, reunião às 17:00 com Cliente. A seguir, aulas das 18:30 às 23:00. Finalizar o dia com uma bucha engolida sofregamente a ver a SIC Notícias. Tentar dormir e não acordar no dia seguinte – já não tão seguinte – com o corpo dorido.
.
Tenho que deixar de fumar definitivamente, de beber álcool, de comer como um alarve, começar a ir regularmente ao ginásio, andar mais a pé. Um destes dias. E abrandar.

» bom dia!

I
Uma das coisas mais esquisitas que me pode acontecer é andar de um lado para o outro com um frasco de amostra de urina que, em vão, vou tentando disfarçar. Olho para todos os outros portadores de frascos de urina que os embrulham em papel higiénico, em saquinhos plásticos, em folhas de jornal e vejo que não adianta, simplesmente não adianta. Num laboratório de análises clínicas sabemos que o que está ali é um frasquinho de urina que, lentamente, vai arrefecendo. Um desperdício nosso, uma intimidade devassada. Estranho, não é?
Especialmente estranho se pensarmos que há um ano que não faço análises… talvez seja de ter visto ontem aquelas duas equipas a jogar futebol.
II
Gostei de o ver, colarinho aberto, sorriso pepsodent, cabelinho penteado à moda, roupinha bem escolhida, uma personalidade que oscila entre o azeiteiro blazé e o rapazinho recém-licencioso. Parace ter acordado para a vida, o Paulo Portas. Agora, vamos ver se acordou para a política…
III
Sol, finalmente!

» bom dia!

A chuva continua a querer deixar-me ficar um pouco mais na cama. Nada como isso, espreguiçar-me e mudar de posição languidamente escutando o ruído das pingas que metralham o telhado. Mas não posso.
Tive que sair para o caos do trânsito matinal e, três cafés depois, entrar no gabinete do costume, ler os e-mails fastidiosos de problemas que não são para resolver, a correspondência dos peritos no adiamento. Estranho? Sim Habitual? Também.
É a normalização de um país adiado, sempre adiado, que me bate no monitor, o mesmo monitor onde debito estes caracteres breves, de breve libertação de um dia alheio. É a minha parte.
Apetece-me música.

» bom dia!

Continua a caminhada no deserto em busca de um sinal que me desperte a vontade, que me dê o mote, que me traga a rima.
Valha-me o sol que a chuva trouxe e que timidamente começa a querer despontar por detrás de algumas teimas feitas nuvens.
Mais para o final do dia, quem sabe…

» bom dia!

Um bom dia para fazer o trabalho de Teoria da Comunicação.
Caso para pensar porque é que uma professora quererá um levantamento bibliográfico completo acerca de Comunicação numa altura em que a matéria é Cinema?
Por agora, nada mais há a dizer. Começa bem, começa…